Autor(es):
Maia, Mônica Bara
Local da publicação:
Rio de Janeiro
Ano:
2010
Área Temática:
Saúde Coletiva
Editora:
Editora Fiocruz
Direitos de Acesso:

“Parir e nascer, definitivamente, não são processos ‘naturais’ nem meramente fisiológicos. São eventos sociais e culturais complexos, que envolvem interações entre indivíduos, grupos sociais e organizações (hospitais e maternidades), com poderes e legitimidades diferenciados”. A partir desta constatação, a autora investiga como disputas em torno do modelo de assistência ao parto tornam-se obstáculos para a implementação de uma política que considere mais o papel da mulher e minimize os impactos negativos de uma excessiva hospitalização do processo. Com base no caso de Belo Horizonte, verifica em que medida as políticas nacionais de humanização do parto se operacionalizaram, como se portaram profissionais obstetras (médicos e enfermeiras) e quais foram as dificuldades institucionais enfrentadas para colocar
em prática essas políticas.

Títulos Relacionados